A Doença, a Cura e os Florais de Anura

Florais de Anura e a CuraQuando a doença se instala no corpo físico, já dançou com todos os corpos da pessoa. Seja qual for o tipo de desequilíbrio físico, é assim que se passa.

A qualquer doença corresponde uma frequência vibratória. Esse quadro vibratório tem expressão em todos os corpos, ou seja, a doença quando se começa a manifestar, executa essa dança com todos eles, muitas vezes durante um longo tempo e vai-se encaixando. Há ressonância. Associadas a esta frequência vibratória, está um conjunto de crenças e emoções da pessoa. São os braços e as pernas desta dança. Assim que esta frequência surge em qualquer nível do corpo da pessoa, surge também uma energia elemental que dá vida, sustenta e anima a referida doença. Sem esta energia elemental, a doença não se manifesta.

Um elemental é a alma do desequilíbrio físico da pessoa, numa imagem. Quando ele se apropria do corpo de uma pessoa, tem licença para lá estar. A música (frequência vibratória) que permitiu a dança da doença nos diferentes corpos, sustentou todo o processo de conquista das defesas da pessoa, no campo físico. Isto é válido para uma gripe ou para um cancro.

A doença, a cura e os Florais de Anura - Elevação VibracionalOs Florais de Anura são fundamentais neste processo porque elevam a frequência vibratória da pessoa, ajudam a mudar crenças e emoções, potenciando o processo de cura. Diz-se e bem, que não há cura sem autotransformação. Os Florais de Anura potenciam essa mudança, criando as condições físicas e vibracionais para elas; assim como dão informação aos diferentes corpos da pessoa, ao seu ADN, que lhes permitem recordar a sua matriz original.

Esse é o processo da cura profunda.

Muitas vezes nas terapias de Florais de Anura de doentes de cancro, por exemplo, é autorizado (nem sempre) a remoção do elemental responsável por aquela situação e observa-se uma paragem da evolução da doença. Durante um tempo, há ausência da manifestação da doença. A pessoa pode ir fazer exames tumorais e não haver manifestação; pode ir fazer um diagnóstico com o Índigo e não haver sinais da frequência da doença. Pode acontecer que passado um tempo curto, ela se volte a manifestar.

Por quê? Foi feito um afastamento da energia elemental que sustenta a doença, mas não houve transformação profunda da situação que esteve na origem da mesma. Como a situação se manteve, a energia elemental voltou, pois ela está ligada a uma frequência que continuou a ser emitida.

Como se resolvem estas situações?

Não pode deixar de haver intervenção médica autorizada. Em complemento, deve perceber-se qual a origem da frequência e tentar resolver. Os Florais de Anura são aliados preciosos para o efeito. A pessoa tem que estar disposta a mudar e abdicar de partes de si, integrando outros aspectos com que não se identificava ou que não estavam integrados.

Um exemplo: “Eu acredito que me vou curar.” Se a pessoa achar que não merece curar-se, que tem que ser castigada; a doença passa a ser um meio apropriado para tal acontecer e a cura não consegue ocorrer. Isto é apenas um exemplo muito simplista do que pode ocorrer.

Mais uma vez, este processo é feito com as frequências subtis dos Florais de Anura, que fornecem informação aos corpos para se libertar do que está anquilosado e lhe dão força para deixar entrar o novo.

A reprogramação é também feita através dos florais, alterando a realidade celular e do inconsciente da pessoa. O resto do processo deve ser feito com a ajuda de um médico competente e dos cuidados de saúde para o efeito.